Dia de acção contra os Estados assassinos 20 Dezembro

É evidente que este levantamento na Grécia não é só uma resposta em honra de Alexandros Grigoropoulos, de 15 anos de idade, companheiro, que foi assassinado a sangue frio, com uma bala por um polícia na zona de Exarchia no sábado, 6 de dezembro de 2008.

 

Ver vídeo do assassinato

 http://www.youtube.com/v/jwjzhcmolua&hl=es&fs=1

 

É evidente o que se passa na Grécia é devido aqueles que quando abrem os olhos já não podem dormir

 

É evidente que a raiva da população cresceu rapidamente apesar das tentativas dos meios de comunicação e do governo de confundir a opinião pública. Manifestações espontâneas e distúrbios explodiram no centro de Atenas, e espalharam-se rapidamente a outras cidades. Os ataques contra o Estado e objectivos capitalistas acontecem em todo o lado, Salónica, Patras, Volos, Chania e Heraklion, em Creta, em Giannena, Komotini e muitas outras cidades.

 

É evidente que Bancos e carros destruídos, não é nenhuma violência quando comparado com trabalhar sem parar durante 40 anos e perguntares-te se poderás te aposentar algum dia. É evidente que grandes lojas saqueadas, não é nenhuma violência quando comparado com as Bolsas, as pensões de miséria e as hipotecas que liquidamos ao dobro do preço. É evidente que Esquadras de polícia atacadas e ocupadas, não é nenhuma violência quando comparado com o desemprego, a precariedade, os salários de 700 euros ou menos e tomar Prozak e vitaminas para poder aguentar às horas extras. É evidente que universidades ocupadas e as ruas a servirem de palco para batalhas campais entre polícia e manifestantes é uma maneira excelente e bem vinda de tentar mudar a violência que são os "acidentes" de trabalho, porque os patrões reduzem os custos de segurança dos seus trabalhadores, a violência do direito de seres despedido  e abandonado quando não sirvas mais, a violência de ser um imigrante e viver com medo de ser deportado a qualquer momento e viver numa insegurança constante e ser Mãe, trabalhadora e dona-de-casa ao mesmo tempo, e ser violentada moral, económica e sexualmente e pedirem-te para sorrires porque tudo está bem, o mundo está muito bem feito e tu não podes fazer nada… Uma merda é que isso é evidente.

 

É evidente que sindicatos, partidos, padres, jornalistas e empresários estão decididos a manter esta violência, mas também é evidente que a revolta dos estudantes, dos abandonados, dos trabalhadores temporários, dos imigrantes, de todos os que sentem na pele o triste destino a que nos querem condenar não deve parar!

 

Como é evidente os Anarquistas e antiautoritários fazem apelos aos cidadãos para realizar assembleias, mas em muitos lugares há um clima de terrorismo, já que agentes secretos junto com fascistas estão a vigiar e a atacar as pessoas e inclusive saqueiam pequenos comércios, assaltam literalmente cidadãos gregos e culpabilizam os revoltosos, alguns desses agentes já foram perseguidos e surrados, mas num programa com um apresentador famoso desmascaram esta manobra da policia.

Ver vídeo do programa

http://www.youtube.com/watch?v=HpkGxdfoTUM

 

Os que forem feitos prisioneiros, de acordo com as últimas notícias, será aplicada a nova lei antiterrorista grega como também é evidente.

 

Evidentemente que dezenas de manifestações em apoio e solidariedade com a revolta na Grécia, aconteceram por diversas cidades europeias e em algumas cidades dos Estados Unidos, tendo já diversas pessoas sido detidas.

 

Na Grécia o que se tenta fazer é evidentemente uma Revolução… e as Revoluções são contagiosas.

 

Dia 20 é um dia internacional de acção contra os Estados assassinos.

 

Não perdoamos nem esquecemos.

 

Aconcelhamos o acompanhamento do desenrolar dos acontecimentos em:

  Occupied London blog | Center for Strategic Anarchy blog | Libcom.org archive

 

 

 

PEDEM CASA DIGNA E DÃO-LHES PRISÃO. SOLIDARIEDADE.

Na tarde de 14 de maio do ano 2006 ergueu-se em Madrid um movimento espontâneo convocado por sms e Internet, para queixar-se da dificuldade de ter acesso a uma casa digna, que hoje em dia ainda continua de pé. Tanto nessa altura como agora estas assentadas não têm nenhuma sigla , nenhum grupo, conjunto ou partido político. Visto o bom acolhimento e a participação que houve desde a primeira assentada, as autoridades preocuparam-se muito, já que enfrentavam-se com um grave problema: o cidadão comum começava a sentir-se identificado com um movimento desorganizado, o qual corria o risco de organizar-se e aumentar em número, pondo em xeque o governo com suas demandas. Foram então enviados vários centenas de policias antidistúrbios, com ordens para dissolver quanto antes a manifestação, para o qual não evitaram utilizar de violência impune e desmedidamente.

Como consequência produziu-se um total de 21 detenções arbitrárias com acusações de atentado contra os agentes da polícia, desordem pública, desobediência, resistência grave à autoridade… por isto eles enfrentam penas até sete anos de prisão. Ademais de injustificadas, estas acusações estão cheias de contradições e irregularidade, como polícias que apresentaram relatório médico de lesões depois de destroçar os nós dos dedos na cara dos detidos… Estas pessoas sofreram danos físicos e morais durante todas as horas que durou a sua detenção, ocasionados pelos antidistúrbios, pela brigada de informação, guarda civil, funcionários de prisões, assistentes a detidos, juiz… Gritos, insultos, vexações, torturas, perda de dignidade… isto é ao que enfrenta qualquer pessoa, seja inocente ou não, quando cai nas garras do Estado, algo que a sociedade não vê ou não quer ver. Todo isto em uns calabouços onde as condições higiénicas eram humilhantes até limites insuspeitos, onde o médico que reconhecia as feridas nem sequer lhe tocava… depois que passaram horas sem comer e sem dormir, e com a proibição de falar ou rir ou perguntar nada, nem sequer a hora. Tratados como terroristas e trasladados como terroristas, inclusive chegou-se a roubar os pertences dos detidos.

É habitual que se passe isto assim como o que se passou nestas assentadas. Brutal e injustificada repressão, e medidas muito duras contra as pessoas detidas. Os meios de comunicação não informam sobre este acontecimento, criminalizam-se estas pessoas e são detidas. Todo isto é muito preocupante, já que está escondido sob um pluralismo só de fachada e um governo supostamente progressista a favor dos direitos da juventude e da política social.

A especulação e a corrupção são produto da ofensiva capitalista, que no estado espanhol significa entre outras coisas a negação de uma necessidade básica como é a necessidade de viver com dignidade.

NÃO MAIS PRECARIEDADE!!

NÃO MAIS ESPECULAÇÃO!!

NÃO MAIS MONTAGENS POLICIAIS E JUDICIAIS!!

ABSOLVIÇÃO DXS DETIDXS DAS ASSENTADAS!!

 

ÚLTIMA HORA!! A promotora acusou aos nossos companheirxs detidxs na 2ª assentada por uma vivenda digna (xs únicxs que ainda continuam pendentes de juízo e que poderiam ir a prisão até 5 e 6 anos)
Podem ver a acusação na nossa página web:
www.detenidosporunavivienda.org.
Agora mais que nunca pedimos a sua ABSOLVIÇAO!!!
 
Mais informação em:
 
www.detenidosporunavivienda.org

www.myspace.com/detenidosviviendadigna 

http://detenidosvivienda.blogspot.com/